Candidíase Genital – 3 Dicas para Evitar

Escrito por Redacao blog da Gina
em dezembro 31, 2021

Insira seu e-mail para receber

Baixe gratuitamente: 10 Dicas Para Mulheres Arrasarem na Cama

Candidíase Genital – 3 Dicas para Evitar
Compartilhe Este Artigo!

Muitas pessoas ainda desconhecem a candidíase genital, apesar de ser um tabu entre muitas pessoas, além de um temor.

Porém, o que muitos não sabem é que além da candidíase feminina, também existe candidíase masculina.

Candidíase é uma infecção causada por fungos que se manifesta de maneiras diferentes em mulheres e em homens, contudo, a coceira está presente nos dois casos. 

Dr. Drauzio Varella

Portanto, hoje iremos falar um pouco sobre os tipos de candidíases existentes e mais comuns a ajudar, você, a conhecer um pouco mais sobre essa doença e a sua forma de prevenção.

O Que é Candidíase?

A candidíase vaginal tem seu nome técnico monilíase vaginal, que é uma infecção oriunda de um fungo denominado Candida Albicans.

Seu principal sintoma é um corrimento espesso, esbranquiçado, mal cheiroso e normalmente vem acompanhado de irritação, vermelhidão. Ou seja, temos um quadro de corrimento e coceira no local em que a candidíase ocorre.

Candidíase é DST?

Apesar de muitas pessoas acharem, a Candidíase Genital não é uma doença sexualmente transmissível, segundo a Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo.

Esta infecção é causada por um desequilíbrio no local onde ela se manifesta. Na vagina, por exemplo, ocorre através de um fungo que já está localizado em toda a área genital feminina.

Quando a mulher está em um período de estresse, descontrole emocional, queda de hormônios ou algum tipo de nutrientes, a resistência do seu organismo cai, podendo ocorrer a Candidíase e outras doenças. Por exemplo, é muito comum se ter corrimento na gravidez, mas não necessariamente esse corrimento pastoso branco é candidíase.

Com a queda da imunidade na mulher, os fungos se multiplicam em toda a área vaginal, mas além desse fator, vamos falar mais sobre todos os causadores da doença.

Para identificar de maneira correta a candidíase é preciso fazer um exame clínico, porque os sintomas da doença podem aparecer durante o período menstrual feminino.

Seu diagnóstico é confirmado pelo exame microscópio do corrimento, que inclusive identifica qual a sua gravidade.

Assim, vamos dar todas as informações que você precisa tanto para se precaver desta doença, bem como para identificar corretamente a doença, se você estiver suspeitando que está.

Leia tudo com bastante atenção e não deixe de procurar um especialista médico para diagnóstico e tratamento.

Causas da Candidíase Genital

 Muitos estudos médicos, demonstram causas variadas para a infecção da Candidíase Genital, principalmente para quando a doença ocorre na vagina.  

Os principais causadores são:

  • Uso prolongado de medicamentos que podem alterar a microbiota genital, como antibióticos e antifúngicos;

  • Gravidez;

  • A mulher ser diabética;

  • Outras infecções (por exemplo, pelo vírus HIV);

  • Deficiência imunológica;

  • Medicamentos como anticoncepcionais e corticoides;

  • Relação sexual desprotegida com parceiro contaminado;

  • Roupa de piscina ou praia molhadas por muito tempo em contato com a vagina;

  • Vestuário, como roupas apertadas, lycra e roupa de academia que aumentam a temperatura vaginal e ficam por muito tempo suada;

  • Duchas vaginais em excesso.

Pelo menos uma vez na vida, 75% da população feminina mundial tem a Candidíase Genital uma vez na vida.

 “Desses 75%, quase metade terá um segundo episódio e cerca de 5% apresentarão a condição mais de uma vez por ano”

Paulo César Giraldo, Autor do livro ” Higiene Genital Feminina”

Candidíase recorrente

A candidíase recorrente ou candidíase de repetição, assim chamada, ocorre quando uma pessoa, ao longo de 12 meses (um ano) acaba sendo diagnosticada com candidíase várias vezes nesse período curto de tempo.

Portanto, é muito importante ficar de olho na frequência em que o problema ocorre.

Candidíase Feminina

Normalmente a candidíase genital aparece como uma inofensiva coceira na vagina e logo é seguida por muita vermelhidão no local.

Quando identificar que está com estes sintomas iniciais, já procure um médico ginecologista e apresente as suas queixas. Quando antes tratado melhor.

Após este quadro clínico apresentado, se não houver tratamento, os sintomas seguintes serão forte dor para urinar e muito desconforto durante as relações sexuais.

Isso será seguido de corrimento esbranquiçado, um corrimento espesso e ininterrupto. Além de ser um corrimento fedido e perdurará até que a doença seja tratada.

Durante os exames ginecológicos, como Papanicolau é possível identificar o fungo da Candidíase, porém isso não significa que a mulher esteja apresentando a doença.

Ela apenas irá se manifestar quando o fungo da candidíase, que vive na flora vaginal, se proliferar de maneira anormal, por algum desequilíbrio no organismo.

Em casos mais graves, a doença pode até causar úlceras no local, que são pequenas feridas da candidíase, como espinhas ou cabelos encravados.

Um ponto importante de se entender é que há várias outras doenças, como vaginite, herpes ou gonorreia que podem causar os mesmos sintomas.

Por isso é tão importante se consultar com um médico.

Tratamento Para a Candidíase

É possível sim evitar a doença e para isso é preciso se atentar aos fatores principais que lhe dão causa.

Assim como tratamento preventivos, o ideal é evitar vestimentas apertados e molhados por muito tempo, não utilizar sabonetes ou desodorantes íntimos, camisinhas com sabor ou produtos de perfume e duchas vaginais.

Durante o tratamento é recomendado uma higiene no local com sabonete próprio do tratamento e dormir sem roupa íntima, bem como o uso de absorvente interno.

Porém, caso a doença já tenha sido diagnosticada, o ideal é fazer abstinência sexual para não correr o risco de passar para o seu parceiro.

Observem bem, candidíase não é uma DST.

Isto porque, ela não ser oriunda somente através do sexo, mas é sim, transmitida pela relação sexual.

Já os tratamentos curativos está a recomendação do uso de antimicóticos e antifúngicos via oral, além de usos de cremes vaginais de uso tópico.

Uma das nossas dicas de ouro é durante o tratamento é fazer uma alimentação pobre em açúcar, pois ajuda a não proliferar os fungos da candidíase. Há diversos alimentos que fortalecem a imunidade.

Mas para qualquer tipo de diagnóstico ou tratamento por uso de medicamentos procure um especialista ou ginecologista de confiança.

Os sintomas normalmente desaparecem após 2 semanas de iniciado o tratamento.

Caso após este período não ocorrer qualquer melhora, é recomendado o retorno ao médico.

Candidíase no Homem

Normalmente, no homem, a candidíase não apresenta sintomas, como ocorre com a mulher, por isso é importante que caso a parceira entre em tratamento, ele também entre.

A candidíase no homem pode apresentar os seguintes sintomas:

  1. Coceira intensa no pênis;
  2. Vermelhidão e inchaço na região genital;
  3. Corrimento esbranquiçado;
  4. Dor ou queimação ao urinar;
  5. Desconforto durante a relação sexual;
  6. Aparecimento de placas esbranquiçadas na cabeça do pênis

Caso o homem verifique estes sintomas, o ideal é consultar um urologista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento com uma pomada antifúngica

LEIA TAMBÉM:  Posição Borboleta Paraguaia: O que é e Como fazer?

Tipos de Candidíase

Como já mostramos aqui, a candidíase pode acontecer tanto nos órgão genitais da mulher quanto no homem.

Além desses casos, existem outros tipos da doença, que podem se manifestar em outros lugares do corpo.

Por isso, caso você ou seu parceiro identifique os sintomas, já procurem um médico.

Vejam os tipos que a doença podem se manifestar:

Candidíase na pele

A infecção dermatológica da Candidíase é a proliferação do fungo na pele chamado mais comumente Cândida albicans.

Esta doença afeta qualquer região do corpo com dobras ou quebras, ou seja, virilhas, axilas, atrás dos joelhos, pescoço, mama, umbigo e etc.

Normalmente, se inicia com um enorme vermelhidão no local, inclusive acompanhado com quentura intensa.

Logo em seguida começa muita coceira, ardência e após um período uma escamação com erosão e feridas, além de liberar um líquido da lesão.

Em casos que fica bem sério e sem tratamento, uma úlcera pode se formar e o local ficar manchado, quando curado, como uma cicatriz.

A candidíase na pele pode afetar também as unhas dos pés e das mãos e é chamada de onicomicose, causando uma enorme dor, deformação e aumento gradativo da espessura da unha, além de deixar o local com aspecto branco ou amarelado.

Para a candidíase de pele é usado um tratamento com pomadas ou orais de antifúngicos ou antimicóticos.

Nossa dica de ouro, para caso esteja sofrendo deste mal é durante o tratamento manter a pele seca, pois ajuda a eliminar a infecção e previne o seu reaparecimento.

Candidíase na garganta

Este tipo de doença pode se manifestar como aftas, sapinhos ou boqueira afetando lábios, língua, parte interna das bochechas, céu da boca e até a gengiva. Ou seja, a candidíase afeta toda a região da boca e não somente a garganta.

Seus sintomas são forte dor, fissuras na boca, que podem até ser confundidas das herpes, que causam placas brancas e muita dificuldade para a comer.

Em casos mais graves, este tipo de candidíase pode afetar a garganta, causando placas esbranquiçadas e fissuras no local, trazendo um enorme desconforto para engolir. É bem semelhante a uma amidalite.

Candidíase mamária

A candidíase mamária ocorre frequentemente durante o período de amamentação e que é causada pelo fungo Candida albicans.

Ela ocorre porque neste período, a mulher fica completamente vulnerável em sua saúde, principalmente no pós parto e a impunidade cai bruscamente.

Normalmente como sintomas da candidíase mamária, o mamilo fica com feridas, vermelhidão e muita dor no local. As fissuras são de difícil cicatrização e causam muito desconforto quando ocorre do bebê mamar.

A candidíase mamária é considerada um tipo de sistêmico da doença e nem sempre todos os sintomas se apresentarão. Porém, a dor será sempre presente.

O tratamento para candidíase mamária é feito após a avaliação e recomendação de um mastologista ou dermatologista, que deverá receitar uma pomada ou comprimido para ajudar a combater o fungo e, assim aliviar os sintomas.

Uma das maiores dúvidas é se durante o tratamento, a mulher precisa parar de amamentar e a resposta é não.

Porém, antes do tratamento ser iniciado há o risco do bebê apresentar sintomas de candidíase na boca, então é importante que seja tratado de acordo com a orientação do pediatra.

Candidíase anal

Candidíase anal é causada pelo fungo Candida albicans que é mais comumente identificado em pacientes com prurido anal secundário.

A região perianal contém pequenas quantidades de Candida albicans, que em condições normais não causam problemas.

Porém, alguns fatores causa a sua multiplicação e, assim, o desenvolvimento da candidíase anal como. Estas causas são umidade anal, sudorese excessiva no local por conta de obesidade ou roupa molhada por longo período, imunossupressão (HIV, diabetes e uso de imunossupressores) e doenças anorretais crônicas).

A candidíase anal pode afetar as mulheres como os homens e apresenta como sintomas uma vermelhidão e muita dor na região anal, inclusive dificultando que a pessoa fique sentada.

Posteriormente, se não tratada, ocorre o  aparecimento de vesículas e pústulas e uma eventual formação de fendas ou fissuras anais.

A candidíase no ânus pode ser difícil de diagnosticar.

A certeza do diagnóstico é feita somente por microscopia direta ou cultura de fungos.

O tratamento para candidíase anal é alternado entre medicamentos orais e pomadas antifúngicas e há orientação de restrição de sexo anal, mesmo que com o uso de camisinha.

Candidíase intestinal

A Candidíase no intestino ocorre pelo fungo Candida Albicans integrante e se proliferando na flora intestinal normal.

Sua colonização tem como função principal induzir o bom desenvolvimento de uma flora bacteriana intestinal saudável.

Porém, caso a pessoa tenha o sistema imunológico muito baixo, como por exemplo os portadores de AIDS ou diagnosticados com câncer.

Seus sintomas são cansaço excessivo, arrotos, indigestão, febre, diarreia, excesso de gases, barriga bem dura, aparecimento de pequenas placas brancas nas fezes, sepse.

Para tratamento será preciso realizar, inicialmente, realizar uma colonoscopia para identificar o foco e gravidade do problemas, para então o médico receitar o tratamento.

O tratamento é feito com uso de medicamentos orais antifúngicos e em casos mais graves, pode ocorrer internação no hospital para fazer a medicação na veia.

O ideal é, durante o tratamento, evitar ao máximo o consumo de alimentos doces e ricos em açúcar saturados, como carboidratos, porque aumenta a proliferação dos fungos.

Além do intestino, a candidíase pode afetar rins, pâncreas e outros órgãos do aparelho digestivo.

3 Dicas Para Evitar a Candidíase Genital

Separamos 3 dicas especiais e de ouro, que só o Blog da Gina pode dar, para te ajudar a evitar a candidíase genital, principalmente se você perceber que está em um período com baixa imunidade.

Dica 1 – Aumentar sua imunidade

Atacar a causa principal é o melhor caminho para qualquer problema e na candidíase não seria diferente.

Por exemplo, se você está com muito estresse no trabalho, sem conseguir dormir e se alimentar, o ideal é avaliar sua rotina e tentar começar a cuidar da sua saúde física e emocional.

Além disso, tomar complexos vitamínicos auxiliam no reequilíbrio corporal, evitando que as colônias do fungo da Candidíase se prolifere.

Dica 2 – Cuidados com roupas molhadas ou apertadas

Se você é uma frequentadora assídua de academia, o ideal é sempre optar por roupas mais soltas ou alterar dias com roupas mais folgadas e em outras, usar uma lycra.

Além disso, se você gosta de uma praia ou piscina do clube, do condomínio ou da casa de um amigo, procure ficar no máximo 2 a 4 horas com a roupa molhada.

Assim que possível, troque por uma roupa seca e se possível aplique um talco ou creme seco em regiões como virilha e vagina, para manter o local sem umidade.

Cuide de sua saúde física

Uma das principais causas da queda da imunidade é o aparecimento de doenças, então o ideal é fazer checkups anuais, principalmente se na sua família ter qualquer histórico de doenças.

Se prevenir é sempre o melhor caminho.

Gostaram destas dicas?

Acompanhe o Blog da Gina e garanta sua saúde física, emocional e sexual com nossas dicas e orientações.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


2 Comentários

  • Pérola disse:

    Estou passando por esse problema 😔,as suas dicas foi muito importante. Peço o deus me curar e fica boa pq não e fácil ter candidíase….

    1. Gina disse:

      Não esqueça de passar na ginecologista meu bem ❤️